Guia completo para Desbravar o Peru

Ele, do Rio Grande do sul, eu, Rio de Janeiro… Mas o destino era um só: Peru!

Porque o Peru? Inicialmente a motivação de ambos era o desejo de conhecer uma cultura diferente.

Mas a razão de pegar dispensa do serviço, férias, arrumar as malas, sair do nosso estado, ir para o aeroporto, pegar voo para ir pro Peru, isto tudo, só descobrimos lá, numa aventura extraordinária que é este país!



PREPARANDO AS MALAS

Mas o que levar na sua primeira viagem para um país tão perto, mas com climas e solo tão diferente do nosso país?! Vai a dica:

Roupas – De acordo com os peruanos: “o tempo aqui é como as mulheres, muda de uma hora pra outra”. Nada de levar só a roupa para escalar as ruínas de Machu Picchu. Por mais que o sol possa estar escaldante, de uma hora pra outra, é possível cair chuvas fortes e esfriar bastante. A Noite em Cuzco, por exemplo, dependendo da época que você for, pode ser bem fria. E quando digo bem fria, é no sentido de vestir até três blusas e luvas pra não congelar os dedos. Eu, por exemplo, não conseguia ficar sem minhas luvas durante a noite, o Lucas por ter vindo do frio do Sul, já suportava mais que eu!


Gorros também são válidos, mas eu aconselho para quem gosta levar um só, e comprar gorros lá, porque além de lindos, repletos de imagens étnicas e serem quentinhos, temos os famosos gorros e casacos feitas de lãs de trabalhos manuais! Além disso são muito baratos!

Acessórios – Assim, como o frio pode ser intenso, o calor também! Mesmo que esteja caindo àquele toró, não é nada interessante deixar de levar um protetor solar, principalmente se você for quase transparente como eu… Alguns minutinhos exposto no sol escaldante, voltamos morenos pro Hotel e ardidos! Isto porque confiei no friozinho matinal. Então, melhor não arriscar. Se quiser, você pode levar bonés e chapéus para se proteger das radiações solares. Quem não quiser se molhar pode levar também uma capa de chuva para dias chuvosos.
Confira toda a documentação necessária e certinha para viajar, assim como fizemos, pois nossa viajem foi muito tranquila devido a isso. É uma das primeiras coisas que devemos colocar na mochila. Não se esqueça de também de conferir se você está com as vacinas em dia. Para ir ao Peru é necessário ter tomado a vacina de febre a amarela, não dói quase nada e o torna imune.
Ficar muito tempo no avião te entedia? Então já vou avisando que isto não será problema se você for ao Peru, pois com 4 horas de viagem, saindo de Porto Alegre, a chegada ao país é bem rápida. Mas, se ainda assim você gosta de se entreter nos ares, pode levar na bagagem um livro ou um caderno de anotações e desenhos, que foi o que fizemos… Sem contar que você vai querer tirar muitas fotos da paisagem, pois é possível avistar a Magnífica Cordilheira dos Andes, que é incrivelmente linda!

Falando em fotos, não vá esquecer o melhor instrumento que inventaram pras nossas vivências! Sua câmera fotográfica! Confira tudo certinho nela, se não estiver viajando sozinho e estiver indo com alguém peça também que leve a dele (afinal é muito legal ter pontos de vistas de um mesmo lugar, com registros diferentes. Foi isso que fizemos e conseguimos tirar muitas fotos lindíssimas). Não esquecer o carregador e um tripé para a câmera. Tire fotos de você mesmo, principalmente em lugares como Machu Picchu, e se você for como nós e tiver dedinhos nervosos pro click, pode levar uma bateria reserva para a câmera e um dispositivo, como pen drive ou HD, para ir salvando as fotos que já tirou e liberar espaço na sua câmera! Muitos dos Hotéis possuem computadores e você poderá salvar suas lindas fotos nestes locais.
Outra parte importante são os remédios, caso faça uso de algum, e também aqueles preventivos de sintomas que só você mesmo sabe que é possível precisar. Não se esqueça dos produtos de higiene pessoal, chinelo e uma dica legal para mulheres: um creme hidratante para as noites bastante frias, sua pele agradece.
Nossos celulares só funcionaram lá com Wi-fi, então os deixamos com o horário do nosso país, e levamos um relógio simples para termos o horário Local de Cuzco e não perder os passeios em grupo para os sítios arqueológicos.


Aconselhamos uma bolsa de mão ou mochila pequena para fazer os passeios, onde você só vai precisar levar o que é conveniente: coisas pequenas e poucas, como agasalho, câmera (itens da câmera), água, biscoitos, barra de cereais (muitos lugares você vai querer parar pra comprar lanches, almoçar, e também comprar recordações), então não leve muita coisa.




Tênis – Não podemos esquecer-nos do principal, se sua intenção é visitar sítios arqueológicos e principalmente Machu Picchu, o Tênis, por questões de segurança e conforto é bacana serem daqueles específicos, de preferência para trilhas, com espumas internas reforçadas, e solado com antiderrapante, pra não ter perigo de escorregar caso chover e também pelo motivo que nas pedras eles fixam mais, afinal não vão faltar lugares com subidas e declives para explorar!

LIMA

Pra quem vai fazer um tour pelo Peru e quer começar pela sua capital pode ir preparando as rodinhas das malas para frear em Lima. Considerada a maior cidade do Peru, e banhada pelas marés do Oceano Pacífico espumante, Lima esbanja atrações! O Peru tem como uma de suas características a presença de praças enormes e encantadoras com flores por todos os lados exalando cores e arquiteturas históricas baseadas na cultura Inca, como por exemplo, a Plaza de Armas de Lima, que foi o lugar de fundação da cidade. Próximo, (precisamente dois minutinhos de caminhada) você pode encontrar o Centro Histórico que foi declarado Patrimônio Cultural da Humanidade. E pra quem gosta de ler, o que não faltam são livros na Gran Biblioteca Pública do Peru (9 minutos da Plaza de Armas), um lugar super organizado e silencioso, e com abundancia de espaço pra fazer a mente decolar tão alto quanto às altitudes máximas do país!


Ainda em Lima, no bairro Miraflores, onde fica a maior parte dos Hotéis, encontramos os melhores restaurantes e centros de compras, como o Shopping Larcomar, com uma vista belíssima e estonteante para as praias de Lima e o Oceano Pacífico, são emoções inesquecíveis!

Em Miraflores você também encontra o Sítio Arqueológico Huaca Pucllana, onde os Incas construíram uma Pirâmide grande (25 metros de altura, equivalente a um prédio de dez andares) com pedras. As construções são feitas de adobes (milhares de tijolinhos de barro sobrepostos), pois Lima é na Costa, fazendo com que a textura das pedras seja diferente das encontradas em Machu Picchu. Outra diferença para Machu Picchu são as rampas, ao invés de escadarias de pedras, que torna mais rápida a locomoção de um lugar para o outro. O mais incrível de Huaca Pucllana é ver do alto de suas construções, no horizonte, os prédios coloridos e modernos de Miraflores preenchendo o cenário da Grande Pirâmide mesclando séculos diferentes em uma só paisagem! Simplesmente Lindo, parece um quadro! É de emoldurar!


Você achou que só poderia achar águas dançantes em Dubai? Pois está enganado, no Parque de La Reserva você tem que estar a fim de se molhar, e vivenciar esta experiência com o Circuito Mágico de Água, que interage com as pessoas formando círculos, túneis, brotando do chão em movimentos envolventes e divertidos que não vão deixar você sair seco de lá! Vale também ir ao final da tarde, pois as luzes das águas se destacam para se admirar! Outra atração é a Fonte Mágica cujo jorro de água alcança 80m de altura. É encantador!


E para os apaixonados? O que Lima tem?… Não podia faltar o Parque do Amor! Além de muito bonito, limpo e conservado, os bancos e muretas são feitas em ladrilho com várias inscrições. Também tem uma bela escultura e uma vista maravilhosa. Lindo para relaxar, namorar e tirar muitas fotos!
Estes são alguns encantos de Lima, mas você ainda vai vivenciar muito mais na cidade! A diversidade, tanto dos lugares naturais, como gastronomia, espaços culturais, produtos, entre outros, são inúmeras e apaixonantes!

 

CUSCO: CHEGANDO EM CUSCO

Já ouviu falar em “soroche”? Este é um dos sintomas causados por grandes altitudes… E se é a primeira vez que você vai pra um lugar situado no topo do mundo, pode ficar tranquilo que vai chegar respirando! Geralmente lemos em alguns lugares que os sintomas do soroche (falta de ar, tontura, enjoo e dor de cabeça) são quase inevitáveis, porém também não é um bicho de sete cabeças, pode ficar tranquilo, pois os sintomas vêm devagarinho e bem leves e Cuzco (com 3400 m de altitude) vai estar te aguardando com uma receitinha deliciosa pra isto.


É o famoso Chá de Coca e as Balinhas de Coca! As balas de coca prometem ajudar na oxigenação do sangue. Desse momento em diante, você pode tomar algumas precauções básicas e ir com calma: Faça o check-in, chegue ao Hotel, suba com as malas e veja se está se sentindo bem. Se sim, maravilha! Mas resista à tentação de já partir explorando os pontos turísticos da cidade. Vá até a esquina, aquela pertinho de você, tome um café, veja o movimento, aproveite pra interagir com os peruanos, e não tenha medo de falar errado (caso não saiba a língua local), é um povo muito simpático! E espere para turistar no dia seguinte. Dar um tempo para o seu corpo se acostumar com a altitude é a melhor forma de amenizar o soroche.

ATRAÇÕES DE CUSCO

Também com a Plaza de Armas, Cusco, ganha destaque! A Praça é famosa por ser o marco de todo o Centro Histórico e era conhecida entre os incas como lugar de encontro (“Huacaypata”, em Inca). Ao seu redor há as construções mais impactantes de Cusco como as Igrejas revestidas por ouro e os principais serviços voltados para o visitante, como casas de câmbio, restaurantes e agências de turismo. Ali o colonizador espanhol Francisco Pizarro declarou a conquista da cidade.


A Praça é muito bonita, florida e para quem é amante dos animais, vai ficar encantado em como os cães que ali rodeiam são dóceis! O mais incrível, que ficamos abismados, é que eles têm uma estatura bem maior, muito diferente dos cachorros de rua daqui do Brasil, mas esses grandalhões são uns amorzinhos e adoram um cafuné! Em muitos estabelecimentos eles têm cães deste porte deitados nos tapetes coloridos, então não se assuste, pois são completamente amáveis!

Está em Cuzco então? Não deixe de conhecer as Catedrais e Templos cobertos de ouro! A maioria tem entrada gratuita, e outras você pode adquirir o Bilhete que te dá direito a visitá-las, ficar de queixo caído e sair dourado de lá, de tanto Ouro! As Pinturas também dentro delas são magníficas, de ficar horas espiando os detalhes e suas belezas!

Já foi conhecer a Pedra de 12 ângulos? Não? Aposto que achava que não era possível. Mas os Incas vão mudar sua concepção! Com um conhecimento matemático fenomenal e situada no Bairro de San Blas, é a pedra entalhada com mais ângulos de toda a cidade. As pedras eram encaixadas sem o uso de argamassa, tinham seu lugar predeterminado antes da construção, o que denota o quão precisa era a arquitetura deles. San Blas também é o melhor lugar para comprar recordações e artesanatos. Tanto pelos preços quanto pela variedade. A maioria das lojinhas ficam na ladeira que começa na rua que passa do lado direito da Catedral, Calle Triunfo. As demais lojas ficam nas transversais dessa rua principal.

Aproveite que está numa cidade maravilhosa para provar duas bebidas sensacionais e diferentes: A cerveja Cusqeña, criada e produzida na própria cidade de Cusco, tem um gosto diferenciado, e melhor ainda mesmo é experimentar pelas ruas cusquenhas ou em bares locais.

A outra boa pedida é o Pisco Sour. O pisco é uma bebida local criada no sul de Lima a partir da uva tipo quebranta. Seu sabor é especial, uma mistura de “caipirinha com schweppes”. Um pouco de azedinho com bastante espuma cremosa, além do toque especial da canela que vai em cima, torna ela única e deliciosa. Vale a pena conferir!

E tem mais! O refrigerante de cola Inca Kola! O refrigerante é o preferido dos peruanos, e é bem diferente do que conhecemos! Não deixa de ser refrescante e com um sabor totalmente original.

CITY TOUR

O City Tour em Cusco é um dos melhores passeios oferecidos e disponível na Agencia Turística que você contratar! Diferente do que é comum em outros locais, o roteiro não é somente panorâmico de ônibus, mas sim de se entrar nas atrações, com tempo livre estipulado para todos explorá-las, podendo vivenciar e conhecer lindos lugares, com guias turísticos, que apresentam e traduzem todas as informações e curiosidades dos lugares. O City Tour inclui a Catedral Metropolitana, Qorikancha, Sacsayhuaman, Q’enqo, Tambomachay e Pukapukara.


A Catedral Metropolitana fica a poucos metros da Plaza de Armas e nela você pode conhecer as histórias da escola de arte cusquenha, ver a representações de cristo e conhecer os simbolismos incas, santos e cenários sobre catequização do povo Inca. O mais incrível é a representação do deus máximo dos incas, uma espécie de pedra e que hoje está dentro da catedral servindo como peso de porta.

Conhecida também como Templo do Sol, Qorikancha, tornou-se o Convento de Santo Domingo após a colonização espanhola, nele temos uma mixagem de arquiteturas tanto inca quanto espanhola, que é notável! Dois mundos e valores tão diferentes em um único lugar traduzidos pelas estruturas do Templo. Ao vê-lo por fora, é impossível perceber a grandiosidade interna, que presenciamos ao entrar nele, repleto de diversos salões cerimoniais, pinturas, pedras incas e com um acabamento impecável, é de se ficar vidrado!

Sacsayhuaman é mais uma atração próxima a Cuzco, é um dos Sítios arqueológicos, que possui as pedras incas, mas não são meras pedras, são enormes blocos de Pedras! Eles eram feitos para proteger a cidade de invasões, então não são nada humildes. De longe, quando o ônibus está estacionando, já são esplendorosamente notáveis! De lá você consegue também ter uma vista completa e maravilhosa de Cuzco. É de se ficar um bom tempo admirando a cidade e tentando situar o Hotel que você está neste mapa realista!

O complexo arqueológico de Q’enqo era um templo espiritual utilizado pelos incas para cerimônias e rituais. No complexo há uma sala mortuária, na qual se acredita ter sido utilizada para embalsamar os incas, mas também pode ter sido usada para sacrifícios de humanos e llamas. Além da sala mortuária, Q’enqo contava com um observatório astronômico, onde os incas trabalhavam com uma técnica excepcional, que se presume que era utilizada para medir o tempo, estabelecer as estações, determinar os soltícios e equinócios, mas também utilizado como adoratório, onde eles adoravam a Lua, o Sol, Vênus e as estrelas.

Etimologicamente, Tambo significa lugar de descanso e Machay cavidade subterrânea, cova. Tambomachay havia cumprido uma importante função religiosa vinculada à água e a regeneração da terra. O lugar apresenta várias fontes de água corrente com canais para executarem rituais. Próximo a Tambomachay, se comercializa o famoso choclo (milho peruano), que é bastante saboroso e temperado, com direito a queijo branco e bem quentinho.

Puka Pukara foi construída utilizando uma pedra granito de cor vermelha, por isto tem seu nome traduzido por “fortaleza vermelha”. As ruínas estão localizadas há uns 15 minutos saindo de carro do centro histórico de Cusco. Acredita-se que a função de Puka Pukara era vigiar a Cidade de Cusco, como uma base militar. O complexo arqueológico possui vários recintos, praças interiores, aquedutos, atalaias e caminhos que serviram como local de descanso e alojamento. Pukapukara fica cercada por vales e montanhas que ao final de tarde dão um clima especial para quem está visitando a fortaleza. Sua beleza é de encher os olhos aguçados dos espectadores. Um tom avermelhado toma conta do sítio arqueológico, é lindo de se ver.

Além do City Tour você precisa adquirir o Boleto Turístico, que é como se fosse um ingresso para entrar em muitos lugares, como Salineras, Moray, Ollantaytambo, Pisac, Chinchero, Tambomachay, Pukapukara, Saqsayhuamán, Tipón, Pikkilakta, Museo de Sítio Del Qorikancha, Museo Municipal de Arte Contemporaneo, Museo Histórico Regional, Museo de Arte Popular, Centro Qosqo de Arte Nativa. Vale muitíssimo a pena e muitos lugares são fenomenais, maravilhosos, com muito verde e natureza, sem contar uma paz contagiante! (Saiba como economizar na viagem para Machu Picchu e Cusco)

VALE SAGRADO
A maioria dos Tours pelo Vale Sagrado visita os Sítios Arqueológicos de Pisac, Ollantaytambo e Chinchero. Dependendo da época e da agencia que contratar também pode incluir Moray e as Salineras.


Písac é um sítio arqueológico considerado importante tanto pelas terraças agrícolas, utilizadas para tanto para o estudo do solo, onde os incas estudavam as diferenças que ocorriam de acordo com a variação de temperatura, altura e clima das plantações, quanto para o plantio. Além desta importância para a agricultura, písac era considerada um importante sítio religioso, com templo destinado a adoração do sol. Como todos os sítios, nos deu uma experiência incrível e é indispensável não conhece-la.

Chinchero foi um importante centro urbano e palco de conflitos entre incas e espanhóis. O passeio por Chinchero nos leva até uma espécie de casa de artesanato, onde são exibidas as técnicas de tecer, tingimento da lã de alpaca, e onde também é servido o chá de muña, erva mentolada que melhora os sintomas da altitude. Em Chinchero o povo ainda fala o idioma quéchua, dos incas. É possível ver em seus telhados uma espécie de cruz com dois búfalos, a cruz simboliza a religião e o búfalo simboliza sorte e prosperidade entre a família.

Moray é um dos sítios arqueológicos mais diferentes, com suas formas circulares e em estilo de escadaria. Acredita-se que os incas faziam isso para adaptar diferente tipos de plantações em cada nível de ar para que as plantas obtivessem os melhores resultados. Outro detalhe importante era os sistema de irrigação deste sítio, que apesar do formato circular que leva a um centro, não havia enchentes ou alagamentos nas plantações.
Nosso passeio em Moray foi incrível, percorremos os diversos ângulos e fotografamos, ouvimos detalhadamente o que o guia explicava sobre essa maravilha agrícola-arquitetônica. No final nos sentamos em círculo e fizemos um pedido para Pacha-mamma (e acreditem, ele se realizou).

As Salineras de Maras (saiba mais sobre as salineras), certamente esse é um dos mais curiosos sítios arqueológicos. Uma espécie de piscina que reserva água que desce das montanhas e forma um reduto de sal (Isso mesmo, sal que vem da água das montanhas, confira aqui).
São muitas piscinas que produzem anualmente diversos tipos de sais, e que ajudam no sustento das famílias de Maras. Após o recolhimento do sal (que ocorre após a evaporação da água), este sal é iodado e preparado para o consumo, para tratamentos terapêuticos e para muitas outras finalidades. Na entrada do sítio há um pequeno mercadinho de produtores, onde é possível encontrar sal, e produtos criados com ele. Acreditem, é possível encontrar chocolate com sal!
Um passeio fascinante!

Ollantaytambo é a única cidade da era Inca viva, pois mantem a arquitetura da época. Nela encontramos uma obra monumental das habilidades Incas, com várias escadarias, onde devagar subíamos até o topo com o guia turístico fazendo pequenas paradas para descanso e explicações históricas. Também é chamada de “Fortaleza”, devido a seus descomunais muros. Outra coisa que nos chamou atenção foram os táxis de lá, pequenos carros de formato arredondado onde cabem no máximo duas pessoas, parecidos com aqueles carros antigos de filme, andar neles dá certa nostalgia de épocas passadas, muito divertido, além disso, é um meio de transporte barato e que, como em todo Peru, você negocia antes de chegar ao destino com o motorista. É de Ollantaytambo que sai o famoso trem para Águas Calientes, onde você consegue fazer uma viagem muito confortável e com bonitos cenários pelo caminho.

 

DE ÁGUAS CALIENTES A MACHU PICCHU


O caminho para Machu Picchu começa em Ollantaytambo, onde os trens partem com destino a Aguas Calientes, também conhecida como Machu Picchu Pueblo, vilarejo que fica abaixo de Machu Picchu.

Em Aguas Calientes, há hotéis e um centro de artesãos, que vendem artesanatos locais e também comida local. Os vendedores explicam com amor e carinho tudo o que sabem do que produzem e são capazes de ficarem horas orgulhosos contando todas as etapas É um vilarejo pequeno e acolhedor, com um clima tão bom que dá vontade de ficar por lá.
Mas o destino principal nos aguardava. Chegando em Águas Calientes, passeamos um pouco pelo comercio local, pois estava começando a chover. Foi quando conversamos com um simpático comerciante, que nos aconselhou a subir imediatamente para Machu Picchu, pois, segundo ele, iria chover muito mais à tarde. Ficamos meio intrigados inicialmente, mas confiamos em sua experiência.

Finalmente, compramos a passagem dos Micro-ônibus que levam os turistas até o templo sagrado de Machu Picchu. O trajeto leva cerca de 30 a 40 min, andando pelas curvas sinuosas e perigosas em torno da montanha que sobe até Machu Picchu – uma aventura inesquecível! Ansiosos pela chegada a Machu Picchu, ficávamos imaginando como seria chegar lá e admirar tudo aquilo que antes só havíamos visto pela internet ou nas propagandas de viagens, uma imagem distante do que ia estar finalmente bem próximo de tocarmos. Passado este trajeto, finalmente chegamos à entrada principal de Machu Picchu, onde outros turistas já se encontravam. Fomos até à bilheteria apresentar nosso bilhete, e aquele calafrio na espinha já se fez presente! Estávamos de corpo e alma em Machu Picchu!

Dos pés à cabeça, uma sensação única, indescritível tomou conta de nós. Alegria preenchia nossos olhos, nossos corações. Estávamos ali, e ela era simplesmente única, encantadora como nos disseram que era. Uma sensação de volta ao passado, admirando as ruínas, imaginando como os incas vivenciaram tudo aquilo, e como agora estava disponível diante de nós. Em certos trajetos (subidas principalmente) cansávamos, mas o que não faltavam eram senhores de idade com disposição de sobra para desvendar e explorar o território inca! Continuávamos afoitos, felizes, saltitantes. Fotografamos cada centímetro da maravilhosa construção.

Parávamos, deitávamos, assistíamos o céu, sentíamos o gramado e admirávamos aquele verde limão vívido tocando-nos, experimentamos a textura das Pedras, respirávamos devagar para sentir o cheiro da natureza e aproveitar a brisa suave do vento que tocava nossas peles e tornava os meus cabelos esvoaçantes…

As primeiras palavras que vêm à cabeça pra descrever este episódio são: paz, energia, liberdade, gratidão e saudação! “NÃO HÁ QUEM NÃO ABRA OS BRAÇOS EM MACHU PICCHU!” Ato simbólico do ser humano quando se sente como um pássaro e expressa sua mais intensa sensação de ter concretizado um sonho!

Machu Picchu, também conhecida com a incrível cidade perdida dos Incas, é um dos complexos arqueológicos mais magníficos e grandiosos de toda história Inca. Conta com uma magia contagiante e maravilhosamente apaixonante que se sente ao se pisar na porta de entrada do grande sítio.

Lá também tive a oportunidade de me aproximar das Alpacas e acariciar seus pelos extremamente macios! Parecia a sensação de verdadeiros algodões! Eu me aproximava devagar delas e com cuidado para não assustá-las. Foi muito divertido.

Machu Picchu é a viagem que te deixa apaixonado por viajar, pela sensação de liberdade, pelo prazer que envolve tudo isto. Viagem incrível do início ao fim, com aquela sensação de sonho realizado e de quero mais. Não há quem não vá a Machu Picchu e não pense em voltar outras vezes! ! Sentir novamente aquele arrepio do corpo marejo dos olhos e coração cheio de amor, felicidade, liberdade e paz.

“Conhecer o Peru é se sentir desconcertado e surpreendido pelo que os cinco sentidos vivenciaram nessa surpreendente Terra e sua Gente maravilhosa.”

Viva Al Peru!

acessórios, agasalhos, aguas calientes, aguas dançantes, alpacas, Altitude, Animais, arquitetura, arte, artesanato, avião, bilhete turístico, bota, cães, casacos, catedral, cerveja, chá de coca, Chinchero, city tour, clima, compras, Cusco, cusqueña, cuzco, desbravador, desbrave, desbrave o mundo, étnica, fotografias, fotos, frio, gorros, Guia, inca kola, lãs, lembrancinhas, Lima, Machu Picchu, Machu Picchu Pueblo, miraflores, mochila, mochileiro, Montanhas, moray, o que levar, obras, Ollantaytambo, onde ir, pedras, Peru, pinturas, pisco, plaza de armas, porto alegre, principais atrações, pukapukara, Qenqo, Qorikancha, refrigerante, remédios, rochas, roupas, salineras, sítios, sol, Soroche, tambomachay, templo do sol, tênis, trem, turismo, viagem, viajante, viajar, vilarejo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *